O Zika Virus afeta os animais?

Desde dezembro, só se fala do  Zika vírus.

Um vírus bem chato, transmitido através da picada do Aedes aegypti que nos humanos causam sintomas, geralmente, 10 dias após a picada como: febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas, assim como manchas vermelhas pelo corpo.

Mas será que é assim com nossos bichinhos de estimação?

Será que eles estão livres das picadas?

E qual seria a melhor maneira de prevení-los com o contato com o mosquito?

Conversamos com a Dra Janaina Reis, médica veterinária do Petshop Patas Urbanas e perguntamos sobre o mosquito que não tem deixado ninguém dormir tranquilamente.

Depois do nosso bate papo, reforçamos a prevenção, o cuidado com nossa saúde, da nossa família e dos nossos animais:

 

1) Dra Janaina, o Aedes aegypti pode transmitir o zika virus para animais de estimação como cães e gatos? E a dengue e o chikungunya? Devemos nos preocupar?

R: Cães e gatos não podem ser infectados com Zika vírus, dengue ou chikungunya. Os mosquitos são transmissores de outras doenças para os animais, como leishmaniose e dirofilariose (conhecida também como “Verme do Coração”). O Aedes Aegypti transmite apenas a dirofilariose para os cães. 

2) Existem repelentes no mercado capaz de inibir o Aedes aegypti?

R: Existem diversos produtos repelentes no mercado, como coleiras, orais ou top spot.

3) Sabemos que mosquito não suporta alguns odores, como o enxofre, presente na vitamina B1 (vitamina do complexo B), que em humanos funciona como repelente natural. Gostaríamos de saber, se alimentos ricos em B1 podem ser reforçados aos animais que já fazem uso da AN, têm dieta, acompanhamento veterinário e têm em sua dieta: arroz integral, alecrim, levedo de cerveja, por exemplo. Esses alimentos ajudam na prevenção da picada em animais? Eles devem ser associados a algum repelente?

R: Dietas suplementadas com vitaminas do Complexo B podem auxiliar de forma repelente, mas aconselho que seja associada com outra forma de prevenção (vide sugestões na resposta do item 2). 

4) Tutores podem usar citronela para cães e gatos?

R: Podem sim. Existem sprays de citronela, muito usados em grandes animais, que podem ser utilizados em cães e gatos. Por se tratar de uma substância natural, não existe contra-indicação. Outra alternativa é plantar citronela próximo aos ambientes que os animais vivem.

5) Qual o conselho para os tutores em relação ao momento que estamos enfrentando?

R: É importantíssimo o controle de parasitas o ano todo. Os mosquitos são vetores de doenças importantes e devem ser evitado nos animais também. A prevenção é sempre o melhor caminho. Acho importante conversar com o médico veterinário de seus animais e definir qual a melhor forma de prevenção para cada um.

 

Dra Janaina Reis é médica veterinária.
Patas Urbanas – Rua Mateus Grou, 505 – Pinheiros, Sao Paulo-SP.
Telefone: 11- 3816-5292

 

Algumas considerações importantes:

  1. A Dirofilariose ou verme do coração, é uma doença parasitária dos cães, podendo também afetar os gatos. O parasita responsável pela dirofilariose é um nemátodo chamado Dirofilaria imitis. Os cães são infetados por formas larvares do parasita, transmitidas pela picada de um mosquito. Através da pele e da musculatura, migram e penetram nos vasos sanguíneos, alojando-se, finalmente, no ventrículo direito, na artéria pulmonar e na veia cava. Dependendo do grau de infestação, os parasitas poderão provocar uma redução considerável da função cardíaca, dificuldades respiratórias e uma tosse crônica.
  2.  Top spot é o antipulga, anticarrapato em forma de spray ou pipeta que encontramos no mercado pet, assim como as coleiras antipulgas. Pergunte ao seu veterinário qual o recomendado para seu animalzinho. Lembre-se que tais repelentes devem ser de acordo com o peso do animal.

A responsabilidade pelo não aumento dos criadouros do mosquito é de cada um. Mesmo que nossos animais não contraiam zika, dengue e chikungunya, eles podem ser vítimas indiretas no caso do adoecimento de seus tutores. Para que os animais continuem saudáveis e felizes, é preciso que seus tutores estejam dispostos e felizes também. O abatimento por quaiquer doenças acaba refletindo na nossa disposição e no nosso cuidado com os peludos. Por isso, todo cuidado é pouco.

Humanos, cuidem-se direitinho. Nossos peludos agradecem!

etxriddydr1biphq7shpqnncg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: